Orçamento familiar

Todo mundo merece ter as contas em dia, mas isso exige planejamento e disciplina.

Calma, nada de exagerado. Fugir das compras por impulso é a primeira coisa a ser evitada.

A economia não está a nosso favor e tudo aumentou. Reveja seus gastos e faça uma planilha simples de controle. Com ela, você verá gastos indispensáveis e ficará mais fácil saber onde você pode reduzir despesas.

No plano de reorganização do orçamento, a família toda tem que participar. Isso envolve novos hábitos.

Vale muito a pena renegociar planos de internet, telefone, TV, etc. Fico surpresa toda vez que faço isso e sempre consigo melhorar o plano e baixar o custo. Você sai de carro sempre? Atenção aos estacionamentos que estão absurdamente caros. Evite.

O que priorizar?

Quite dívidas. E sempre que possível pague à vista. Evite pegar empréstimos para pagar outras dívidas. Isso só é válido se você tiver certeza que uma “entrada” de dinheiro acontecerá em breve. Lembre-se: os juros estão altos e alongar prazos pode ser bem arriscado. Coloque metas no orçamento:

  • 50% da renda para os gastos essenciais: moradia, alimentação, transporte, educação, etc.
  • 15% da renda para prioridades financeiras: se você estiver endividado, sua prioridade será quitar as dívidas. Se não, poupar para o futuro.
  • 35% da renda para estilo de vida: academia, salão de beleza, compras no shopping, etc.

Contas em dia

Com o 13o chegando fica mais fácil planejar, quitar as dívidas maiores e começar o ano com a vida em ordem. Isso não tem preço e fica muito mais fácil guardar um dinheiro. Para incentivo de todos, assuma um cofrinho que você possa depositar uma quantia fixa toda semana.