Dispense o supérfluo!

Uma coisa boa da pandemia é entender que podemos viver com bem menos. S I M P L I C I D A D E.

Vestimos um par de roupas, estamos de chinelos, não pintamos o cabelo ou fazemos a unha, estamos sem empregadas e trancados em casa.

Claro que sentimos falta de várias dessas coisas, mas com certeza, a pandemia provou para todos, globalmente, que é possível viver e sobreviver com muito menos.

Ser consciente com relação a isso é muito importante porque o planeta não vai, de fato, aguentar o ritmo de consumo do hoje.

A pandemia nos ensina compaixão e como diz Domeniso de Masi, sociólogo italiano, “a pandemia está nos ensinando que as necessidades radicais de introspecção, amizade, amor, jogo, beleza e criatividade são muito mais importantes do que as necessidades alienantes de poder e dinheiro. Está nos ensinando que para satisfazer as necessidades radicais, não precisamos ter dinheiro, mas de sentido de humanidade”.

E isso tem tudo a ver com o que a gente pensa. Temos que ter mais consciência sobre nossos atos. A pandemia está nos ensinando a viver com o essencial. Ter um olhar do que já não serve mais para a sua vida é um exercício muito poderoso, para o agora. Isso vale para coisas, mas também para pessoas.

Comece devagar, mas comece. Veja o que não faz mais sentido para você e descarte, recicle, doe, organize e mantenha o que importa, o que é essencial e o que te faz realmente feliz! 

Estamos aqui para te ajudar no que for preciso 😉