Vivendo em 10m2.

O segundo momento desapego, na prática, foi quando mudamos de Bournemouth, no sul da Inglaterra, para Londres. Tínhamos que ser econômicas e conseguimos a indicação para alugarmos um quarto na casa de alguém.

O quarto tinha no máximo 10m2. E lá vivemos por quase um ano! Só tinha uma cama e um colchão. Éramos duas e havia um revezamento, semanal,  entre quem dormia na cama e quem dormia no chão. Um armário de duas portas. Sim, duas portas para duas pessoas, portanto não precisamos dizer que tínhamos o absolutamente indispensável. Uma cômoda antiga, com 4 gavetas e só!

Vivemos muito bem, obrigada. Sem sombra de dúvidas, o espaço delimita a quantidade de coisas que a gente precisa ou pode ou quer ou vai comprar.Mas o exercício de viver com menos é libertador. Você organiza melhor seus itens se estiverem à vista. Você pensa menos e perde menos tempo para se arrumar.

Então é possível viver com menos? A resposta que já sabemos é: sim!

Por que deixar para refletir sobre isso quando estamos mudando de casa, por exemplo. Por que não podemos ter mais consciência sobre o que nos move, o que nos faz feliz e consumir menos e com mais sabedoria. Sim, sabedoria! 

Hoje vejo os studios de 19m2 sendo vendidos “como água”e penso que é muito factível de fato.

Não digo que é fácil, toda mudança de hábito exige muito do nosso cérebro, mas com a nossa ajuda é possível repensar sua vida de uma forma mais simples, que não tem nada de básica mas vai te deixar mais leve.

Vem com a gente!

 

 

Desapegar é viver melhor!

No dicionário, desapegar é: fazer perder ou perder o envolvimento, a dependência ou o compromisso com; afastar(-se), libertar(-se).

Dependência! Ficamos dependentes de hábitos criados acreditando que isso faz parte do nosso eu, de quem somos. Isso afeta nosso comportamento, sem que a gente se de conta.

E por que isso acontece?

Nosso cérebro sempre vai procurar o caminho mais fácil para poupar energia, ele busca as redes neurais mais usadas, que infelizmente dificultam a mudança para uma nova forma de comportamento. Mudar exige um esforço muito grande do ser humano, mesmo quando te faz sofrer.

A mudança deve começar pela consciência. Você precisa quebrar essa lógica enraizada. E a raiz dela é o apego.

Libertar-se! Por que resistimos tanto a desapegar? Por que queremos manter objetos que não usamos e não fazem mais sentido, objetos que estão guardados há anos, roupas que não servem mais, roupas que nunca foram usadas…

Vivenciamos muito isso no dia a dia das pessoas: uma vontade de viver com menos, mas a resistência em começar pra valer.

Não desanime. Existem pessoas que podem ajudar nesse processo com experiências positivas e que podem servir de inspiração.

Por enquanto, comece comprando menos. Sim, é possível! Observe tudo que você já tem e questione cada compra nova com a famosa frase: eu preciso mesmo disso? Lembre-se do cérebro preguiçoso. Traga para a consciência o seu desejo de mudar seus hábitos, para desapegar do que realmente não faz mais sentido.

Vai dar certo!